terça-feira, 26 de janeiro de 2021

 

Guedes participou de evento com o presidente Jair Bolsonaro e comentou sobre a volta do auxílio em 2021 (Crédito: Marcos Corrêa/PR)

O auxílio emergencial em 2021 pode voltar se a pandemia da covid-19 não parar de avançar mesmo com a vacinação da população. É dessa forma que o ministro da Economia, Paulo Guedes, indicou a volta dos pagamentos para os beneficiários do programa de ajuda emergencial.

 

Nesta terça-feira (26), Guedes disse que a volta do auxílio só será realizada caso “o pior aconteça”. Em sua visão, a alta no número de casos por covid pode ser pontual, reflexo das reuniões de fim de ano, e a vacinação em massa será vital para garantir a retomada econômica do Brasil, agora sem o auxílio emergencial ampliando a dívida do governo.

 

Agora, caso a pandemia avance, Guedes reconhece que o auxílio deverá voltar a ser uma prioridade no governo. Para isso acontecer, no entanto, sacrifícios serão exigidos, como o congelamentos de verbas para a saúde e educação, além dos salários dos servidores públicos.

 

“Quer criar o auxílio emergencial de novo, tem que ter muito cuidado, pensa bastante. Porque se fizer isso não pode ter aumento automático de verbas para educação, para segurança pública, porque a prioridade passou a ser absoluta [para o auxílio]”, disse Guedes durante evento com investidores internacionais e ao lado do presidente Jair Bolsonaro

0 comentários:

Postar um comentário

PEDREIRAS FELIZ

PEDREIRAS FELIZ
PEDREIRAS - MARANHÃO

IPEDE

IPEDE
PEDREIRAS - MARANHÃO

Novelty telecom

Novelty telecom
Lima Campos

Dr. Jailson Silva

Dr. Jailson Silva
Advogado

BRASIL GÁS

BRASIL GÁS
LIMA CAMPOS

DR. MATEUS ATTA

DR. MATEUS ATTA
ADVOGADO

Receber Noticias

Facebook